BERUBY: GANHA DINH€IRO usando a Internet (simples)

CLICA AQUI PARA TE INSCREVERES EM BERUBY! COMEÇA JÁ A GANHAR!

Na sociedade actual, o dinheiro emerge como um bem essencial para uma vida saudável, segura e confortável. Sem dinheiro não conseguimos concretizar os nossos desejos materiais, alcançar algumas das metas que traçamos e viver dentro dos padrões pretendidos. Hoje em dia, no contexto de crise económica em que Portugal está mergulhado, a poupança e a contenção das despesas assume uma importância primordial. Mas já pensou em aumentar as suas receitas?

INT€RN€T

De facto, numa época financeiramente tão conturbada como a que atravessamos, a procura de meios alternativos de fazer dinheiro constitui uma hipótese a considerar. E, neste capítulo, a Internet desempenha inquestionavelmente um papel fundamental, oferecendo-nos milhares de maneiras diferentes de aumentar os seus rendimentos. Inclusivamente, existem maneiras muito simples de o fazer!

Sites PTC

Uma das formas mais simples de fazer dinheiro online consiste no recurso aos sites PTC, do inglês Paid to Click, onde os membros são pagos por clicar em anúncios publicitários ou ligações para outros sites da Internet, sem qualquer investimento por parte do utilizador! São sites que, apesar de oferecerem preços aparentemente insignificantes por cada dia de actividade, possibilitam a obtenção de largas quantias ao fim de algum tempo, caso o utilizador explore adequadamente as funcionalidades disponibilizadas.

BERUBY

Não terei dúvidas em considerar o Beruby um dos melhores (se não mesmo o melhor) sites PTC à nossa disposição na Internet. Na verdade, várias pessoas constroem contas de 500 € em Beruby, com base numa utilização inteligente das possibilidades por ele oferecidas. De utilização extremamente fácil, credibilidade total e lucros atractivos, o Beruby é claramente um site que vale a pena experimentar!

Neste site, os pagamentos ao utilizador processam-se sobretudo por PayPal ou por transferência bancária, sendo o primeiro pagamento realizado quando tiver atingido um valor de 10 €.

A primeira vantagem está no bónus de inscrição instantaneamente oferecido pela Beruby: 1 € de bónus! Seguidamente, o utilizador pode começar a ganhar dinheiro, servindo-se das 3 modalidades oferecidas pelo site: ganhar por visita, ganhar por registo e ganhar por compra.

1) Ganhar por Registo

Para ganhar por registo, é necessário aceder aos sites indicados na secção correspondente, fazendo o registo nesses sites e ganhando uma comissão. Neste capítulo, é preciso ter cuidado para não se inscrever em sites que requeiram o seu número de telemóvel para lhe enviarem mensagens pagas. Assim, deve limitar-se a subscrever os serviços totalmente gratuitos, que lhe rendem uma determinada comissão, indicada no Beruby.

Eis a lista dos serviços gratuitos em que me inscrevi e que me renderam 1,47 €:

  • Clube Fashion
  • Gabriella
  • Goodlife
  • Iminent
  • LetsBonus
  • Miau.pt
  • TARA
  • Westrags
Para clientes Vodafone, aconselho ainda a inscrição nos 3 serviços disponibilizados pela operadora, cada um dos quais rende 50 cêntimos, perfazendo um total de 1,50 €.

2. Ganhar por Visita

Esta é a forma mais simples de ganhar em Beruby, embora seja também a menos rentável (aparentemente). Consiste em visitar diariamente alguns dos sites mais famosos e utilizados da Internet, fazendo-o a partir de Beruby. Sim, aqui pode fazer dinheiro visitando o Facebook, o Youtube, o Sapo, o Hi5, o site oficial do jornal A BOLA e também o blogue da Beruby.
No total, as visitas diárias a estes websites a partir de Beruby rendem 3,5 cêntimos. Além disso, a simples visita diária à sua conta Beruby rende 1 cêntimo. Assim, pode auferir 4,5 cêntimos diários sem qualquer dificuldade, gastando cerca de 1 minuto nesta actividade muito simples!

3) Ganhar por Compra

Esta será, porventura, a modalidade de ganhos em Beruby  que permitirá coleccionar quantias mais avultadas. Porém, o nível de adequação desta campanha varia de pessoa para pessoa, uma vez que exige que o utilizador faça compras pela Internet (algo que nem todos os portugueses fazem). Porém, se está habituado a comprar pela Internet, esta é a área certa para si, uma vez que poderá fazer dinheiro sem esforço algum, sempre que comprar algo de que necessita.
Naturalmente que, nesta secção, as comissões não atingem valores muito elevados. Porém, se o valor do produto comprado for de 50 €, aplicando-se uma comissão de 3% do valor da compra, terá 1,50 € na sua conta Beruby, o que é um valor bastante agradável.

COMO GANHAR MUITO MAIS: REFERIDOS!

Como pode certamente entender, nenhuma das modalidades acima apresentadas (visita, registo e compra) permite a obtenção de quantias muito elevadas. Como explicar, então, que algumas pessoas já tenham conseguido lucros tão avultados em Beruby?

O segredo do sucesso destes utilizadores prende-se com a formação de uma vasta rede de referidos. Esta estratégia consiste basicamente em o utilizador convidar outras pessoas para se inscreverem em Beruby, sendo que, no momento da sua inscrição, se tornam referidos do utilizador. Para convidar pessoas para se inscreverem em Beruby terá de utilizar o seu link de convite, que poderá encontrar em “Minha Rede”.

Uma vez inscritas, essas pessoas passam a contribuir para o aumento dos seus lucros, uma vez que o utilizador ganha cerca de 10% do valor das comissões de cada referido. Ora, isto significa que, quando um utilizador consegue arranjar 10 referidos, o que é relativamente fácil, pode duplicar o valor dos seus ganhos diários!

E, caso o utilizador se sirva de uma plataforma de divulgação adequada, como sites, blogs, facebook, twitter e outros, será muito fácil atingir um grande número de referidos, que possibilitarão uma expansão impressionante dos seus ganhos!

Assim, a formação de uma rede de referidos constitui uma mais valia de Beruby, possibilitando a obtenção de quantias verdadeiramente avultadas com base neste site.

INSCREVA-SE JÁ!

Resta-me apelar a que todos se inscrevam em Beruby, pois terão certamente muito a ganhar! Clique aqui e inicie o registo, que é fácil e não custa tempo algum! Verá que vale a pena!

Estou, naturalmente, totalmente disponível para responder às vossas questões e prometo ajudar em tudo o que for preciso. Por favor, deixem as vossas dúvidas e opiniões nos comentários, para que eu possa responder e auxiliar-vos em tudo o que seja necessário.

Votos de sucesso,
André Coroado (Andrey Amabov).

EUSO 2009: um ano depois (as provas)

Foi precisamente no dia 5 de Abril de 2009 que a comitiva portuguesa das EUSO Murcia 2009 regressou a casa, trazendo moralizadoras e merecidas medalhas de bronze, mas, acima de tudo, memórias fantásticas de uma semana inesquecível.

Deste modo, assinalando o primeiro aniversário da chegada dos jovens cientistas à pátria,  pretendo recordar aqui os melhores momentos das Olimpíadas de Ciência da União Europeia do ano passado, evidenciando os motivos que tornaram esta aventura uma experiência tão enriquecedora e memorável.

As provas: grandes testes ao nosso potencial e lições para o futuro.

Seguindo as normas da organização, os testes das EUSO 2009 envolviam sempre uma componente experimental e uma vertente teórica. Genericamente, podemos dizer que o trabalho laboratorial era a base de tudo, uma vez que a avaliação dos grupos residia nos registos de medições e resultados, bem como nas respostas a questões relacionadas com as actividades a realizar.

Foram realizadas duas provas: uma no dia 31 de Março (3ª feira) e outra no dia 2 de Abril (5ª feira). Ambas as provas estavam divididas em 3 partes, referentes aos três domínios da ciência abordados, passo a citar, a Biologia, a Química e a Física. No entanto, não deixou de ser curioso que, no teste do dia 31 de Março, o segmento de Biologia se tratasse, na verdade, de uma actividade de Química, com um pequeno exercício no final sobre o ciclo de vida do bicho-da-seda.

De um modo geral, para quem não estiver interessado em ler  informação específica sobre cada uma das provas, posso dizer que foram muito interessantes, estimulando o nosso espírito científico e desenvolvendo a nossa capacidade de resposta a problemas inéditos. Fomos a Espanha com o intuito de honrar o nosso país, procurando ultrapassar as dificuldades que certamente iríamos encontrar, na tentativa de superar o nosso melhor. Ao mesmo tempo, participámos nesta grande competição científica tendo como propósito aprofundar os nossos conhecimentos nas nossas áreas predilectas e desenvolver competências fundamentais para a nossa formação e carreira.

Pois bem, não poderíamos ter sido mais bem sucedidos nestes objectivos, algo que podemos confirmar pela extraordinária evolução que protagonizámos do primeiro para o segundo teste. Por isso vos digo: foi formidável!

Competências adquiridas:

  • encarar situações novas
  • reagir a adversidades
  • trabalhar em equipa
  • aprender com os erros

1ª prova: fibras têxteis

Cada prova estava subordinado a um tema em concreto, que funcionava como mote de todo o teste. Na primeira prova, o tema central eram as fibras têxteis, dado que 2009 foi considerado o Ano Internacional das Fibras Naturais. A parte de Biologia, ou melhor, a primeira parte de Química, girava em torno da temática da seda e do famoso bichinho que produz esta fibra natural, devido ao simbolismo da cultura da seda naquela região de Espanha. E, se a segunda actividade de Química incluía uma titulação e a síntese artificial de nylon, a parte de Física baseava-se numa comparação das propriedades da seda e do nylon.

Não nos correu bem esta prova. O nosso grupo estava habituado a trabalhar em conjunto durante na totalidade do tempo, realizando todas as actividades do teste colectivamente. Ora acontece que este sistema tinha muitas vantagens  nas provas das Olimpíadas de Física, onde a sua utilização nos tinha catapultado para o primeiro lugar nas regionais e nas nacionais, mas não se aplicava ao modelo de prova das EUSO, com três actividades complicadas, repletas de problemas novos para nós, que exigiam muito tempo e toda a nossa concentração.

Durante a prova, encontrámos diversas contrariedades contra as quais nada podíamos fazer, e outras que, com mais experiência de laboratório e concentração em alguns instantes, talvez tivéssemos conseguido ultrapassar. O estado de saúde do Duarte, um bocado adoentado, com sintomas de gripe, veio prejudicar o nosso desempenho, apesar da atitude aguerrida do nosso companheiro de equipa. Outro aspecto altamente imprevisível que nos impediu de triunfar foi as deploráveis condições das balanças da universidade, cujos pratos não estavam completamente fixos, impedindo assim uma medição rigorosa das massas, que nos fez errar o cálculo das densidades.

No entanto, o resultado teria sido muitas vezes melhor se tivéssemos terminado a prova, algo que não aconteceu devido à nossa deficiente divisão de tarefas, ou se tivéssemos encarado as questões com mais atenção, pois tínhamos capacidade para fazer melhor, não fossem as condicionantes de tempo e a grande dimensão da prova. Resultado final: 31 pontos num total de 94 possíveis. Um novo record nas nossas carreiras de estudantes: a pior classificação de sempre (como o Duarte fez questão de referir, com humor).

Os testes exigiam mais experiência de laboratório e uma tripartição do trabalho, com um aluno especializado em cada uma das actividades. Não era difícil entender isto, mesmo para quem pensava que a prova tinha corrido bem (que ingenuidade, a nossa). De facto, sentimos que não tínhamos feito má figura, uma vez que havíamos percebido os conteúdos abordados e tínhamos realizado praticamente todos os trabalhos laboratoriais (como eu disse depois no hotel, “não perdemos o comboio da ciência”). No entanto, os pontos residiam nas questões, e nesse capítulo tínhamos cometido demasiados erros…

2ª prova: sumos de fruta

Se bem me lembro, o teste do dia 2 de Abril centrava-se no estudo dos sumos de fruta segundo diferentes perspectivas. A parte de Biologia, desta vez incidia realmente sobre a ciência da vida, girava em torno da observação microscópica de seres vivos de de diferentes reinos, que suscitava questões diversas, estando de alguma maneira relacionada com a questão dos sumos (não me recordo exactamente como). A actividade de Química, por sua vez, voltava a incluir titulações e diversos cálculos envolvendo moles, enquanto o grupo de Física tinha como grande objectivo a determinação da capacidade térmica mássica do sumo (utilizando água em substituição deste líquido).

Tirando preciosas ilações da prova anterior, optámos por uma inteligente divisão de tarefas, desdobrando a nossa equipa nos seus três membros constituintes: Frederico, o biólogo, Duarte, o químico, André, o físico. E assim, motivados pela perspectiva de uma grande prova, demos início às actividades, cada um responsável pela sua parte, após um curto período de análise do teste em conjunto. Naturalmente que também houve entreajuda nesta prova, mas ocorreu de uma forma muito mais estratégica e profícua do que na ocasião anterior.

Firmes no nosso propósito, com uma postura correcta face aos trabalhos propostos, não recuámos perante as adversidades e fizemos frente aos problemas, contornando as barreiras que se nos afiguravam. Todos nos confrontámos com situações de difícil resolução, mas uma análise cuidada das circunstâncias e muita determinação na tentativa de corrigir os erros permitiram encontrar as soluções adequadas. Quando precisávamos da ajuda de um colega, quer para questões técnicas quer em termos de conhecimentos, não hesitávamos em pedir e o nosso compatriota vinha prestar auxílio tão rapidamente quanto as suas actividades o permitiam. Funcionámos muito bem.

No fim, eu, que cooperei activamente com os meus colegas, intervindo nas várias partes da prova, e tinha compreendido perfeitamente todos os exercícios do segmento de Física, acabei por não conseguir chegar aos resultados desejados. Porquê? Pela mesma razão pela qual não conseguíramos determinar as densidades do nylon e da seda no primeiro teste: balança com o prato mal colocado. Já me debati diversas vezes com a questão e a conclusão é inevitável! Um mau posicionamento daquela peça da balança prejudicou as medições das massas de água, influenciando todos os resultados na mesma ordem de grandeza, visto que o gráfico obtido era uma recta, mas em vez de passar pela origem interceptava o semieixo positivo das abcissas.

Tentei de tudo para rectificar a situação, mas já era tarde e tive de trabalhar com os dados que tinha, até porque sabia que o meu procedimento estava correcto! Depois, todos os exercícios ficaram errados, em cadeia, e eu nada podia fazer! Se não fosse o raio da balança… aqui está um parâmetro em que o material da nossa escola tem alguma superioridade!

No final, viemos a saber que a nossa classificação nesta prova tinha sido de 70 pontos num universo de 86 possíveis. Nada mau! Fizemos grandes progressos relativamente ao teste anterior! E, aparentemente, as minhas peripécias com a balança não tiveram um efeito demasiado negativo no resultado final, posto que preenchi correctamente os registos, elaborei um gráfico de acordo com os meus dados e ainda acertei a uma questão de escolha múltipla. Fui penalizado nos valores das massas, no cálculo da capacidade térmica mássica e nas duas alíneas que se seguiram, dependentes da determinação de c. De resto, como o motivo do meu erro foi uma questão exterior à minha responsabilidade, e também participei activamente nas respostas ao questionário de biologia, cooperando magnificamente com o Fred, fiquei de consciência tranquila e sinto que cumpri o meu dever como membro da equipa.

E assim se demonstrou que o trio de cientistas do Restelo tinha um imenso valor e aprendera imenso com a experiência do primeiro teste! Se, no dia 31 de Março, tínhamos conseguido não perder o expresso europeu da ciência, na segunda prova não só apanhámos o comboio, como também chegámos ao fim da linha! Ou pelo menos ficámos perto. Como disse a professora Isaura Vieira, da DGIDC, “se tivesse havido uma terceira prova…”.

Aviso: mais tarde falarei sobre os outros aspectos das EUSO 2009.